Separadores

terça-feira, 22 de julho de 2014

Slim Penne com Brócolos, Atum e Delicias do Mar

Respeito imenso o mundo da culinária, mas é coisa que não é para mim. Ou seja, não sou pessoa de ficar 2 ou 3 horas na cozinha para preparar uma única refeição, nem sou dada a grandes complicações (a não ser que esteja extremamente inspirada, coisa que raramente acontece).
Tento sempre encontrar ingredientes que facilitem a minha vida e receitas que até doam de simples que são.
Em suma, sou fã de refeições rápidas, fáceis (e saudáveis) e detesto perder tempo na cozinha. E como as refeições rápidas não têm que vir do McDonalds, deixo-vos aqui uma sugestão bastante prática de preparar.

 

 Ingredientes
(para 2 pessoas)
* 1 molho pequeno de brócolos
* 1 Embalagem de Slim Pasta Penne 
* 1 lata atum em água
* 4 tiras de delicias do mar (podem dispensar)
* 1 cebola picada
* 2 dentes de alho picado
* 1 cálice vinho porto (era o que tinha aberto, mas podem optar por outro)
* 2 CS polpa tomate
* 1 Cc mostarda
* 1/3 chávena da água da cozedura dos brócolos
* azeite
* sal, pimenta
* ervas aromáticas a gosto

Preparação
* Cozer os brócolos com um pouco de sal e sementes de funcho.
* Lavar bem a massa (slim pasta) segundo as instruções da embalagem e reservar.
* Numa frigideira alta, saltear a cebola no azeite. Juntar o alho quando a cebola estiver translúcida.
* Adicionar o vinho e deixar o álcool evaporar.
* Juntar a polpa de tomate, a mostarda, as ervas aromáticas o sal, a pimenta e a água e deixar unir os sabores. É importante, neste ponto, ter a temperatura do lume baixa para que não se evapore tudo.
* Escorrer a água do atum e adicionar ao molho/estrugido. Juntar, também, as delicias do mar cortadas aos pedaços e envolver.
* Misturar a massa que reservou ao preparado e estufar ligeiramente (cerca de 2 minutos, nem tanto). Caso seja necessário, acrescente mais um pouco da água dos brócolos e rectifique o tempero.
* Por fim, acrescente os brócolos e volte a envolver. Apagar o lume e servir.

É óptimo para comer no momento ou para trazer na marmita para o dia seguinte!

Pode não ser uma refeição à Gordon Ramsay, mas os sabores estão todos lá! É o que importa, não é?
E quanto tempo demorou? 10 minutos!
Além de que, enquanto os brócolos coziam, a loiça estava a ser tirada da máquina, a ser limpa e arrumada! Tchanããã...

Bom apetite!
(*.*)

terça-feira, 15 de julho de 2014

Almofadas de Peru com Legumes


Ingredientes
(serve 4)
* 4 bifes de peru pequenos/médios.
* 2 folhas de massa filo
* 4 colheres sobremesa de mostarda com grão
* 1 cenoura média/grande
* 1 pacote espinafres
* 1 mão de ervilhas
* azeite (ou oleo coco)
* sal e pimenta a gosto
* sementes de papoila


 Preparação
* Pré-aquecer o forno a 200º C.
* Cozer/saltear os espinafres e as ervilhas e reservar. 
* Cortar cada quadrado de folha de massa filo ao meio, para duplicar as quantidades. Vai ficar com 4 rectângulos, um para cada bife.
* Cortar os bifes de peru em tiras, para facilitar e reservar.
* Cortar a cenoura em tiras e reservar.
* Estender um rectângulo de massa filo num tabuleiro forrado com papel vegetal.
* Deixar cerca de 4 cm de uma das laterais e começar a montar a almofada em camadas. Em primeiro lugar, espalhar 1 colher de sobremesa de mostarda, o que vai servir de base. Depois, colocar as tiras do bife de peru por cima e temperar com sal e pimenta. Continuar a montar, juntando um pouco da cenoura e, por fim, dos espinafres e das ervilhas (previamente escorridos).
* Antes de enrolar a massa, pincelar a lateral vazia, de maiores dimensões, com o azeite ou o óleo de coco. Ter atenção para evitar os excessos.
* Pegar na lateral menor e começar a enrolar. 
* Repetir o processo para todas as folhas de massa.
* Depois das almofadas prontas, pincelar os topos e polvilhar com sementes de papoila.
* Levar ao forno durante cerca de 20 a 30 minutos ou até a massa estar dourada.
* Se vir que a massa está a dourar muito depressa, baixe a temperatura do forno para 180º C durante 10 minutos e, depois, volte a aumentar para os 200º C.
* Servir quente e acompanhar com uma salada ou legumes salteados.


É uma receita que pode conter vários recheios, mediante o gosto de cada um. Por vezes, substituo a carne por cogumelos e fica óptimo. Outras vezes faço combinações doces, com maçãs, nozes e canela... As opções são imensas... é só dar largas à imaginação.

Bom apetite!
(*.*)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Biscoitos Recheados com Geleia de Mirtilos

Esta é uma receita para todos os fãs de bolachas e biscoitos...
A maior dificuldade que eu tive, ao adaptar a minha alimentação, foi a privação das bolachas. Por isso, tento sempre encontrar receitas mais saudáveis para que, de vez em quando, possa matar saudades.
Esta não é das receitas mais fáceis ou mais simples de se fazer, mas a combinação de sabores torna estes biscoitos tão deliciosos, que vale a pena experimentar. Já para não falar do perfume que se instala na cozinha e o aspecto maravilhoso com que ficam. São de comer e chorar por mais. 
Lá em casa, esta é uma receita vencedora :)


Ingredientes
* 3/4 chávena farinha de amêndoa
* 1/2 chávena farinha coco
* 1/2 Cc fermento
* 2 CS farinha linhaça
* 1/2  Cc canela
* 1/4 Cc sal
* 1/4 chávena óleo coco
* 1/4 chávena agave
* 2 ovos grandes (3 médios)
* 1 Cc essência baunilha
* 4 CS geleia de mirtilos (receita aqui)
* 3 CS água


Preparação
* Numa panela, colocar a geleia e a água e deixar amornar em lume médio/baixo. Assim que a geleia tiver incorporado a água, apagar o lume e deixar arrefece. Reservar.
* Num recipiente pequeno colocar os ovos, o agave, a essencia de baunilha e o oleo de coco morno e bater tudo.
* Num recipiente médio, colocar as farinhas, a canela, o sal e o fermento e misturar.
* Aos poucos, incorporar a mistura liquida nos secos, e envolver bem.
* Dividir a massa em duas bolas e formar um disco com cada uma.
* Envolva cada disco em plástico de cozinha e leve ao frigorífico por 30 minutos a 1 hora.
* Pré-aquecer o forno a 180.º
* Tirar um disco de massa do frigorífico e colocar entre dois pedaços de papel vegetal.
* Estender, com a ajuda de um rolo, até a massa estar com cerca de 0,5 centímetro de espessura.
* Cortar um quadrado grande e, de seguida, cortar em pequenos rectângulos. Transferi-los para um tabuleiro forrado a papel vegetal.
* Colocar a geleia que reservou nos rectângulos, deixando cerca de 1 centímetro das laterais.
* Pegar no outro disco que ainda estava no frigorífico, estender e cortar como o primeiro.
* Humedecer as pontas da massa que contem a geleia e colocar um rectângulo simples por cima. 
* Pressionar as laterais com os dedos ou, caso prefira, com a ajuda de um garfo.
* Levar ao forno, a 180.º C, por cerca de 12 a 15 minutos ou até começarem a dourar nas extremidades.


Notas:
* Esta massa deverá ser trabalhada rapidamente e enquanto estiver fria. As temperaturas mais quentes fazem com que a massa se desfaça, impossibilitando a tarefa.
* Com as sobras da massa e da geleia, fiz mini cookies simples. Marmoreei o geleia pela massa, fiz pequenas bolinhas e achatei-as. Levei ao forno juntamente com as outras.
* Esta receita faz entre 8 a 12 bolachas. Depende apenas dos tamanhos dos vossos rectângulos.


Bom apetite!
(*.*)

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Geleia de Mirtilos

Nada melhor que fazermos a nossa própria geleia para sabermos exactamente o que contém e o quão doce queremos que seja.
O doce/geleia de mirtilos é muito simples de fazer. A vossa única preocupação será a de provarem um mirtilo antes de porem mãos à obra, para decidirem a quantidade de adoçante que precisam de colocar.

imagem retirada daqui
Ingredientes
* 3 chávenas de mirtilos
* 1/3 chávena de agave
* 2 CS sumo de limão
* Raspa de 1/4 limão

Preparação
* Colocar os mirtilos num tacho e esmagar com um garfo.
* Adicionar o agave, o sumo e a raspa de limão.
* Levar ao fogão, em lume médio, e deixar ferver durante 15 a 20 minutos ou até verificarem que já está em consistência de geleia, mexendo sempre.
* Guardar o preparado num frasco previamente esterilizado.
* Conservar no frigorífico.


Nota:
Se os mirtilos forem muito amargos coloquem mais um pouquinho de agave. Se forem muito doces, coloquem menos.
A geleia está pronta quando passarem a colher de pau ou espátula e deixar um caminho perfeito.

Saber Escolher e Saber Comprar - Leitura de Rótulos

Leitura dos rótulos... Pode parecer chato, moroso e desnecessário, mas é essencial para que possamos fazer as escolhas mais saudáveis para a nossa alimentação.
Foram as minhas más escolhas que me levaram ao peso que tenho actualmente. Felizmente, está a reduzir, mas para essa redução acontecer, tive que seguir duas regras básicas: alimentação cuidada e exercício físico. Sem uma, a outra não resulta nem nos torna saudáveis.
Neste momento, estou a ser seguida por uma profissional de nutrição que me vai ensinando a mudar os hábitos horríveis que tinha enraizados em mim. 
Uma das primeiras coisas que ela partilhou comigo foi a correcta leitura dos rótulos. Porque é no super mercado que tudo começa.
Decidi partilhar esta informação convosco para que possam, também, fazer as melhores e mais saudáveis escolhas alimentares.

Vejamos o exemplo deste rótulo

Energia - Evitar alimentos com maior densidade calórica.*
*Mais de 400 Kcal por 100g de produto é bastante elevado, pelo que nos devemos concentrar em valores inferiores.

Glícidos - Escolher alimentos com quantidades de açúcares simples inferiores a 13g

Lípidos - Procurar valores inferiores a a 10g por cada 100g de produto alimentar.*
*Em geral, quanto menos gordura saturada e mais mono e polinsaturada melhor será o alimento. Os produtos devem ser isentos de gordura hidrogenada ou trans.

Fibra - É aconselhado ter pelo menos 6g de fibra por 100g de produto.

Sódio - Escolher alimentos com um teor de sódio inferior a 0,6g ou 1,5g de sal por 100g de produto.

Em suma:

Evitar
  • Alimentos com elevado teor de gordura (nomeadamente saturada e trans);
  • Alimentos com elevado teor de açúcares simples;
  • Alimentos com elevado teor de sódio.
 Preferir
  • Alimentos ricos em fibras alimentares;
  • Alimentos com elevado teor de hidratos de carbono complexos (ler mais aqui)
Esta foi a informação que me foi prestada e que considero bastante valiosa. Tento segui-la sempre ao máximo, porque creio que este é o princípio de uma mudança na alimentação. Naturalmente que por melhor que sejam os valores nutricionais de cada produto, devemos ter a consciência de que nenhum alimento deve ser consumido em excesso.
Inicialmente, poderá até ser um pouco aborrecido ter que ler todos os rótulos e "decorar" (ou andar com um papel atrás) todos os valores de referência, mas quando a informação estiver interiorizada tudo se torna mais fácil. Além de que quando repetirem a compra já não precisam de ler o rótulo...
Boas escolhas! :)

domingo, 6 de julho de 2014

Bolo de Caneca com Cacau e Nozes

Todas as regras têm as suas excepções. E não o contrário.
A minha alimentação é o maior exemplo disso. Embora regrada, de vez em quando permito-me um miminho.
Hoje mimei-me e, para o meu lanche, fiz um bolo de caneca. Embora seja um lanche um pouco mais calórico que o normal, não deixa de ser nutritivo também. Se há coisa que eu tenho aprendido é que não precisamos de calorias vazias. Aliás, devemos recusar tudo o que não seja nutritivo.
E essa foi uma das mudanças que existiu à minha volta: a escolha dos ingredientes. Neste momento tento rodear-me apenas daqueles que sejam os melhores para mim e mais saudáveis para o meu corpo. 
O meu foco, o meu desejo e a minha ambição estão cá e só depende de mim alcançar a minha meta. Fiz uma escolha para a vida, não para os próximos tempos. E numa vida comemos de tudo um pouco, seja qual for o nosso "tudo". 
E aqui vos deixo a minha sugestão de bolo de caneca, para um dia diferente.


Ingredientes:
* 2 CS farinha coco
* 1 ovo
* 2 CS agave
* 1 Cc cacau cru
* 1/2 Cc fermento
* 1 mão nozes
* 1/3 chávena de leite de amêndoa
* 1 Cc óleo de coco
 
Preparação:
* Num recipiente, bater os ingredientes líquidos. 
*Juntar, à mistura anterior, a farinha, o cacau e o fermento. Envolver tudo até a massa estar homogénea.
* Incorporar as nozes ao preparado.
* Colocar a massa numa caneca previamente untada ou não (ver notas abaixo) e levar ao microondas durante 1 a 2 minutos, na potência máxima (o tempo irá depender do vosso microondas, por isso, pode até precisar de mais 1 minuto).
* Comer directamente da caneca ou desenformar e decorar a gosto.

Notas:
* O meu bolo foi decorado com iogurte grego ligeiro e groselhas.
* Ficou com uma textura bastante leve e suave.
* Usei uma caneca almoçadeira devido ao seu formato, mas podem usar qualquer uma.
* Caso queiram que o bolo cresça bem, têm que untar a caneca com uma gordura. Eu usei o óleo de coco, em pouca quantidade, apenas para permitir que o bolo não ficasse colado às "paredes".
Se optarem por untar a caneca, vai permitir-vos, também, desenformar o bolo. Caso contrário será ligeiramente mais complicado.

Bom apetite!
(*.*)

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Empadão de Atum com Puré de Brócolos e Couve-flor

Receita simples, rápida e que sacia o desejo por empadão.

Adoro puré... de batata mesmo! Adoro, adoro, adoro... Mas fui obrigada a "esquecê-lo" rapidamente, se queria começar a ver resultados. Confesso que de início foi muito complicado, mas foi um problema  ultrapassado.
Hoje em dia, sempre que uma receita pede puré de batata, substituo-o sempre pelo de couve-flor, de brócolos ou de couve-flor e brócolos.


Empadão de Atum

Ingredientes
(serve 3 a 4)
* 1/2 couve-flor média
* 1/2 ramo médio de brócolos
* 1 cebola média picada
* 1 dente de alho picado
* 1/3 chávena vinho branco
* 2 CS polpa tomate
* 1/3 chávena ervilhas
* 3 latas de atum em água
* 2 gemas
* 2 CS azeite
* sal, noz moscada a gosto
* 1/3 chávena água da cozedura dos vegetais
* 2 CS água cozedura ou leite

Preparação 
* Numa panela com água e uma pitada de sal, levar os brócolos e a couve-flor a cozer, durante 15 minutos. Caso prefiram, podem cozer a vapor: torna-se mais fácil de evitar excessos de água no fim.
* Numa frigideira, colocar o azeite e deixar aquecer um pouco em lume alto. Juntar a cebola e refogar ligeiramente. Antes de estar "no ponto", juntar o alho e terminar de refogar. Adicionar o vinho e deixar que o álcool evapore. Nesta altura, adicionar as latas de atum, a polpa de tomate, as ervilhas e o sal a gosto. Caso queira, pode juntar também pimenta. Baixar a temperatura para lume médio/baixo, juntar a água da cozedura dos vegetais e deixar cozinhar cerca de 5 a 7 minutos. Caso seque, juntar mais água. Se estiver muito líquido, aumentar ligeiramente o lume. Reserve.
* Pré-aquecer o forno a 220º C e colocar em modo grill.
* Depois dos vegetais cozidos, reservar 2 CS da água e escorra muito bem. É muito importante que não saia água das couves, para evitar que no fim fique um puré muito liquido e nada consistente...
* Com a varinha mágica, passar os vegetais a puré, triturando bem. Juntar uma pitada de noz moscada e rectificar o sal. Colocar uma gema de ovo e voltar a passar a varinha. Se necessário, juntar, aos poucos, a água que foi reservada (eu evito, mas se preferir coloque antes leite).
* Num pirex (ou outro recipiente próprio) montar em camadas os dois preparados: primeiro o puré, depois o atum e, no fim, novamente o puré.
* Alisar o topo e pincelá-lo com a outra gema.
* Levar ao forno até estar dourado.
* Depois de pronto, deixar arrefecer ligeiramente para que não "quebre" ao servir.


Nota: Caso tenham cozido a vapor, sempre que a receita pede água, coloquem da corrente...

Bom apetite!
(*.*)

quinta-feira, 26 de junho de 2014

A Minha Granola

Começo por dizer que estou extremamente contente com o resultado final desta receita.
Várias foram as receitas que me inspiraram e de todas elas tirei um pouquinho. 
Uma das coisas que aprendi, para fazer esta granola, foi o tipo de ingredientes que devia utilizar. Deve conter um ou dois tipos de cereais (flocos de aveia, de centeio, de quinoa, millet, amaranto, etc.), oleaginosas (nozes, amendoins, amêndoas, macadamias, avelãs, pinhões, etc.), óleo (de coco, de linhaça, girassol, azeite, etc.), adoçante (geleia de agave, mel, açúcar de coco, açúcar mascavado, etc.), frutos secos (passas, tâmaras, arandos, figos, damascos, etc.), sementes (todas as que quiserem: girassol, linhaça, abóbora, chia, sésamo, etc.) e algumas especiarias (baunilha, canela, gengibre, etc.).


No que diz respeito aos óleos, embora a quantidade a utilizar seja mínima, convém que seja um óleo vegetal neutro e, se possível, com um bom valor nutricional. Preferencialmente uso o de coco, mas também aconselho o de linhaça, que é rico em omega-3.
Quanto aos fruto secos, salto por completo. Não gosto do sabor nem da textura, por isso prefiro não adicionar.
É uma receita que dá para variar bastante, porque as opções são muitas. Basta darem uma voltinha à despensa e escolherem os ingredientes que preferirem.


Agora a minha parte favorita: a minha granola.

Ingredientes
* 2 chávenas de flocos de aveia
* 1 chávena de millet expandido
* 1 chávena de nozes
* 1/2 chávena sementes linhaça
* 1/4 chávena sementes de sésamo
* 1/4 chávena mix sementes
* 3 CS óleo de coco
* 2 CS açúcar de coco
* 1/4 chávena de geleia de agave
* 1 CS cacau cru
* 1 CS essência de baunilha

Preparação
* Pré-aquecer o forno a 180º C.
* Juntar todos os ingredientes secos, num recipiente grande, e misturar.
* Adicionar os ingredientes líquidos e mexer. Todos os ingredientes têm que ficar bem incorporados.
* Espalhar a mistura num tabuleiro grande e levar ao forno durante 30 min.
* A cada 10 minutos deverão mexer a granola para que cozinhe uniformemente.
* Retirar do forno e deixar arrefecer.

Sugestão:
Depois de arrefecida, poderão adicionar à granola pedacinhos de chocolate negro ou raspas de coco ralado.

Acho que esta receita me rendeu cerca de 1 kg, mas a verdade é que não pesei. Ups! Contudo, posso dizer-vos que enchi um potinho dos grandes.
Já tinha comido várias granolas, de compra,  mas sem duvida que sabe bem melhor quando somos nós a fazer.
Fiquei fã. Experimentem que também vão ficar!

Bom apetite!
(*.*)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Preconceitos destruidores

Sabem aqueles dias em que nos sentimos mesmo bem connosco próprios?
Acordamos doridos do exercício do dia anterior, mas relaxados.
Subimos para a balança, ainda com um olho aberto e um fechado, mas rapidamente despertamos. Nem acreditamos no que a balança nos diz... Voltámos a perder peso!
Tratamos de nós, com um sorriso de orelha a orelha. 
Vestimos as roupas do costume, mas sentimo-nos particularmente mais bonitos. Parece que o nosso corpo mudou: está mais esguio que no dia anterior, mesmo que milimetricamente. A roupa cai muito melhor. 
Até o raio do cabelo que nunca fica no sítio, hoje deu-nos folga. 
Irradiamos confiança, com um sentimento de realização...
Sentimo-nos maravilhosos: nada nos atinge.
Vemos agora, a pouco e pouco, os resultados de todo o trabalho duro que temos vindo a realizar. Todas aquelas horas suadas no ginásio e toda a aquela comida de lixo que deixámos de consumir estão a dar frutos!

Hoje acordei assim e adorei. Fiquei tão feliz.

Saí de casa e fiz o percurso normal da semana.
A certa altura do meu percurso, reparo numa senhora que olha para mim. Um olhar maligno. Primeiro, discretamente, depois mais intensamente. Um olhar repreendedor. 
Logo hoje?? Não... por favor!
Involuntariamente, o rosto dela expressou os seus pensamentos. Senti-me esmagada.
Reparou no saco das compras que eu trazia. Possivelmente pensou que estava cheio de bolachas, gelados ou batatas fritas, tal foi a sua expressão... Se tivesse olhado com mais atenção, via que estava cheio de frutas e legumes... 
Olhei para ela, directamente, como quem diz "já chega, por favor...". A senhora desviou o olhar. Levantou-se e foi-se embora.
Tarde demais. Aquela alegria e confiança que eu tinha foi por água abaixo... 

Há dias em que os olhares discriminatórios nos passam ao lado e há outros em que nos ferem... 

Sei que as minhas medidas fogem ao comum, nas mulheres. Não meço 1,60 m, nem peso 50kg... Aliás, nunca irei pesar 50 kg. Tenho 1,76 m e, só de massa muscular, tenho 62kg... Fora o resto. Logo, nunca pesarei 50, 60 ou 70 kg. 
Tenho muita gordura a perder, porque o meu peso é muito. Talvez possa, um dia, pesar 80 Kg e, ainda assim, estar super em forma! 
Mas estou em paz comigo mesma. Tenho a estatura que o meu paizinho me deu e que muito lhe agradeço. O excesso de peso foi culpa estritamente minha.
Faço o que está ao meu alcance para perder o peso que acumulei ao longo dos anos. Infelizmente, não é algo que fique resolvido com um simples estalar dos dedos... Oxalá fosse...
Tenho um longo percurso a percorrer, mas, ainda assim e como muito esforço meu, já deixei para trás a categoria de "obesidade grau III" e caminho para a de grau I. Passo a passo.

O que eu sei é que o bom estado emocional de cada pessoa é importante para o sucesso na corrida da perda de peso e, por mais que eu me distraia com outras coisas, tenho sempre o episódio desta manhã a pairar sobre mim.
Ainda assim, decidi contar-vos isto por dois motivos: se também acontece convosco, saibam que não estão sozinhas/os. Se, pelo contrário, são quem causa este tipo de episódios, então, por favor, parem. Só vos fica mal.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Muffins de Frutos Vermelhos Sem Culpa

Sou muito doceira. 
Sou. Admito que sim.
Uma das maiores dificuldades que tive, desde que reeduquei a minha alimentação, foi conseguir privar-me do açúcar, esse bicho louco. Quanto mais comia, mas queria comer. Bolos, chocolates, bolachas... Era viciante, não há outro termo para descrever.
Certa vez, por motivos que ficam para outro post, resolvi meter mãos à obra e cortar com tudo. E cortei mesmo. Segui planos alimentares, fiz exercício físico... E até consegui. Perdi bastante peso. Mesmo! 
Mas nem um ano se tinha passado e já tinha recuperado tudo outra vez...
Já muitas vezes reflecti sobre essa época da minha vida e sobre o motivo de tal ter acontecido. 
Bolas! Tinha conseguido. Não estava no peso ideal, mas estava a caminhar para lá...
Hoje em dia consigo apresentar vários motivos para o que aconteceu. Tive uma perda de peso muito grande em muito pouco tempo e não a estava a levar tão a sério como devia. Na minha cabeça, apenas contava o numero na balança.
Nunca tomei consciência dos alimentos, dos seus nutrientes. Podia comer arroz integral sem saber quais os benefícios que me trazia... Nutrindo ou não nutrindo. Para mim, só contavam o número de calorias! 
Não podia estar mais errada.
No inicio deste ano ganhei uma nova força, devido às maravilhosas "resoluções de ano novo". Arregacei mangas e lá fui eu com olhos sempre postos na balança!
Comecei por fazer exactamente o que tinha feito da primeira vez. Se tinha resultado naquela altura, iria resultar agora! Pensei.
Não.
Não mesmo!
Enganei-me redondamente.
Felizmente, reconheço agora.
Se tivesse tido bons resultados novamente, jamais teria tido a necessidade de compreender os alimentos e os seus valores: o que realmente me faz bem e o que me faz mal.

Há cerca de mês e meio recomecei esta viagem e sinto-me melhor que nunca. Nestes 6 meses de 2014, posso dizer que já tive vários inícios, mas nenhum deles foi melhor que este: mais certo, mais confiante, mais decisivo, mais saudável. Mudei a minha maneira de pensar, reconheci os meus erros e deixei de me privar daquilo com que convivi toda a minha vida e que sempre tratei por "tu": a comida. 
Agora, sempre que me apetece alguma coisa, seja ela doce ou não, faço-a! Substituo o máximo de ingredientes possível e torno o meu desejo numa versão mais nutritiva e, sobretudo, saudável. O resultado final não só satisfaz o meu corpo (a minha gula, em bom português), como a minha alma. 
A comida sempre me trouxe felicidade e agora traz mais que nunca.
Demore eu 2 ou 3 anos a chegar ao peso que quero, importa apenas que lá chegue e que nunca desista, como tantas outras vezes desisti. 
Um passo de cada vez.
Sei que ainda estou em aprendizagem, mas estou em paz comigo mesma.

Estes muffins são um resumo de tudo isto: são um desejo que foi contornado, sem culpas na consciência.
Vamos, então, à receita...

Ingredientes
(para 6 muffins)
* 1 chávena polvilho doce
* 1/2 chávena amêndoa ralada
* 1/2 chávena de aveia (picar os flocos)
* 2 ovos
* 6 CS geleia de agave
* 1 Cc fermento químico
* 1 CS canela em pó
* 1 Cc essência de baunilha
* 1/2 Cc cacau cru
* 120 gr de frutos vermelhos

Preparação
* Pré-aquecer o forno a 180º C.
* Colocar todos os ingredientes sólidos (excepto os frutos vermelhos) num recipiente e misturá-los. 
* Juntar todos os ingredientes líquidos à mistura e envolver bem.
* À parte, esmagar ligeiramente os frutos vermelhos e, no fim, juntá-los ao preparado.
* Voltar a envolver por uma última vez.
* Encher uma forma de silicone própria para muffins, até cerca de 5mm do topo. (Caso prefiram, podem encher aquelas forminhas de papel).
* Levar ao forno durante 35 minutos.
* Desenformar e deixar arrefecer.

Devido à fruta e à amêndoa ralada, estes muffins ficaram húmidos no interior e com uma textura e sabor soberbos. Até parece pecado!
Este muffin foi coberto com iogurte grego ligeiro e salpicado com cacau cru. Acompanhei com frutos vermelhos.
Da próxima, e só porque sou gulosa, irei substituir as amêndoas e a aveia por nozes e a canela por cacau! Também deverá ficar uma coisa doutro mundo! Mal posso esperar :D

Deliciem-se. Bom apetite!
(*.*)

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Tarte de Vegetais ao Coco

É um acontecimento comum: o calor aperta e com ele vem a vontade de comer coisinhas frescas e leves.
Esta receita não foge a essa regra: É leve, fresca, e óptima para esses dias.

Tinha no frigorífico uma couve lombarda a gritar por ser utilizada. É uma das minhas couves favoritas e uso-a bastante. Além da couve, tinha ovinhos caseiros com uma gema tão amarelinha que estava ansiosa por usá-los.


Ingredientes
(para 6 mini tartes e 1 grande) 
* 1/2 couve lombarda
* 1 cenoura
* 1 cebola
* 2 CS azeite
* 1 CS vinho branco
* 400 ml leite de coco
* 6 ovos
* 2 bolas mozzarella light
* sal, pimenta, noz moscada q.b.

Preparação
* Pré-aquecer o forno a 180º C.
* Levar um tacho ao lume e refogar ligeiramente a cebola no azeite.
* Juntar o vinho, depois de refogada, e deixar apurar por mais 1 minuto. 
* Adicionar a couve lombarda e a cenoura, cortadas em pedaços, e saltear durante cerca de 5 minutos. Neste ponto não convém cozinhar muito porque ainda vai ao forno!
* Retirar do lume e deixar esfriar um pouquinho.
* Numa tigela, juntar os ovos ao leite de coco e bater até criar uma mistura homogénea.
* Temperar com sal, pimenta, noz moscada e/ou outras especiarias a gosto.
* Incorporar tudo muito bem.


* Para as 6 miniaturas:

Preencher uma forma de silicone para muffins (à venda, por exemplo, no continente) com 1 colher de sopa de legumes (previamente arrefecidos) ou até que preencha 3/4 da forma por unidade.
Encher essas formas quase até ao topo com a mistura dos ovos e do leite de coco.
Cortar 1 bola de mozzarella em fatias e colocar cada uma por cima das 6 formas

* Para a tarte grande:
Colocar o que sobrou de vegetais numa forma grande de silicone, e adicionar o restante da mistura de ovos com leite de coco.
Cortar 1 bola de mozzarella em pedaços e espalhá-la no preparado.


* Levar as duas formas ao forno durante 30 minutos: os primeiros 20 minutos a 180º C e os ultimos 10 minutos a 200ºC (ou ate a tarte estar douradinha)
* Retirar do forno e deixar arrefecer para que firme.


Bom apetite!
(*.*)

Biscoitos de Aveia e Linhaça

Sou doida por bolachas. Bolachas, biscoitos, barrinhas...
Não consigo viver sem e em casa não podem faltar.
Assim, em apenas 20 min (relaxados) tenho uma remessa de bolachas para toda a semana!
Esta é a receita de uns biscoitos deliciosos, rápidos e bastante nutritivos.
São óptimos para acompanhar a fruta, nos lanches, mas também são perfeitos para os lanches pré-treino.
É uma versão de "soft cookie", mas com um sabor divinal devido à clássica combinação aveia/canela.

Ingredientes
* 2/3 chávena flocos de aveia
* 1/3 chávena farinha de linhaça
* 5 CS geleia de agave
* 2 ovos
* 2 CS óleo de linhaça
* 1 Cc canela em pó
* 1 pitada de sal

Preparação
* Pré-aquecer o forno a 180º C.
* Numa tigela grande bata os ovos com o óleo de linhaça e a geleia de agave. Depois de homogénea, junte à mistura os ingredientes secos e envolva tudo muito bem.
* Forre o tabuleiro do forno com papel vegetal e, com a ajuda de uma colher, disponha a massa em tamanhos uniformes. Achatar ligeiramente cada biscoito.
* Leve ao forno durante 15 minutos ou até que fiquem dourados.
* Nos últimos 5 minutos pode aumentar a temperatura do forno até aos 190/200ºC, sem deixar queimar.
* Depois de prontos, retire-os do forno e e deixe-os arrefecer sobre uma grelha metálica.
* Quando arrefecerem, guarde-os num frasco hermético. 

:) simples!

Bom apetite!
(*.*)

quinta-feira, 12 de junho de 2014

#1 QUIZ

Quando este blogue foi criado tinha uma série de propósitos: partilhar convosco algumas das receitas que vou encontrando por aí, adaptadas à minha realidade; partilhar convosco as descobertas que vou fazendo no que diz respeito a ingredientes que fogem às normais cozinhas a que muitos de nós estamos habituados e, sobretudo, contar convosco nesta participação e partilha.
Para este ultimo ponto, pensei em efectuar vários quiz semanais, onde peço a vossa mais sincera opinião e sugestões.
Bem... Tudo corria bem até ver que tudo correu mal :p
Por ser novata nestas andanças, não estou a conseguir editar o meu blogue da melhor maneira, logo não estou a conseguir com que o meu quiz funcione - well, live and learn...
Se ainda não tinham dado com ele, talvez a imagem abaixo vos ajude a identificar onde se encontra.

A Prova
Então qual é o erro? - perguntam vocês.
O erro, minha gente, é que mesmo que votem, aparece sempre sem qualquer voto... Já pesquisei por aí e ainda não entendi o motivo. (aproveito para deixar um pedido aos entendidos e a quem já tenha acontecido o mesmo, para que me explique o why!)

Ainda assim, queria dar inicio a um Quiz do Descoberta de Sabores e contar com a vossa participação.
Neste caso, as vossas respostas deverão ser dadas através de comentário... Menos prático, eu sei, mas como somos (ou caminhamos para) FIT'S, são mais uns passinhos que damos sem nos cansarmos ;)

 # 1 QUIZ

Que tipo de receitas queres ver neste blogue?
  1. Pequenos Almoços
  2. Almoços/Jantares
  3. Lanches
  4. Sobremesas
  5. Aperitivos
Este quiz irá estar em vigor até dia 21-06-2014
Muito obrigada!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Bolinhos de Batata Doce e Tofu

Quer para entradas ou para prato principal, estes croquetes/bolinhos funcionam na perfeição.
Há já algum tempo que queria introduzir o tofu na minha alimentação, mas não sabia muito bem como fazê-lo...
Procurei por várias receitas e nenhuma me deixou verdadeiramente tentada.
Assim, surgiu esta receita. Uma adaptação de várias que vi por aí, com o meu toque e gosto pessoal.

Para esta receita vão precisar:
Bolinhos
  • 250 gr de tofu fresco
  • 250 gr de batata doce ralada fina
  • Salsa picada q.b
  • malagueta q.b
  • amêndoa picada
Marinada 
  •  Sumo de  meio limão
  • 2 CS azeite de linhaça
  • 1/2 Cc açafrão
  • sal e pimenta, q.b
  • 1/2 Cc sementes de mostarda
  • 1 Cc pimentão doce
Esmague o tofu e coloque-o a marinar durante, pelo menos, 5 horas. Quanto mais tempo marinar, mais vai absorver os outros sabores.
Depois do tofu marinado, junte a batata doce e os restantes ingredientes (excepto a amêndoa picada) e misture tudo muito bem. 
Faça os bolinhos à mão e, por fim, envolva-os na amêndoa ralada para que fiquem mais crocantes.
Antes
Leve ao forno, pré-aquecido nos 200º, e deixe cozinhar até que os bolinhos fiquem dourados (cerca de 20 minutos).
Pode aumentar a temperatura para os 220º, nos últimos 5 minutos, para que fiquem bem douradinhos.

Depois
Retire do forno e sirva ainda quente.
Esta receita rende cerca de 20 bolinhos, mas irá depender do tamanho com que os façam.
Estes servi com puré de batata doce (porque me tinha sobrado) e legumes variados salteados. 

Notas e Substituições:
Pode alterar a batata doce por batata normal. Tente ralar a batata (independentemente da que escolha) o mais fino possível. Torna-se mais maleável.
Como, para mim, a batata doce é excessivamente doce, opto sempre por cortar essa doçura com a acidez do limão. Se for o mais apreciam, então reduzam a quantidade desse ingrediente. 
Caso não gostem de picante, anulem a malagueta da receita. Eu costumo colocar sempre um pouquinho, mais uma vez, devido à doçura da batata.
Uma vez que esta é uma receita vegan, não leva ovos para ligar a "massa". Mas, naturalmente, podem acrescentar 1 ovo e 1 CS de pão ralado à mistura que, quando fizerem os bolinhos. Podem também, no fim, passar o bolinho em farinha, depois em ovo batido, depois em amêndoa para extra crocante. 
 
Experimentem. Façam as vossas versões.
Espero que gostem.

Manteiga de Avelã com Cacau

Muitos já conhecem esta "Nutella" caseira, mas é sempre bom partilhar.
É mais saudável, sim, se compararmos com a de compra. Mas não deixa de ser um produto extremamente calórico. 
Não sou apologista de abdicarmos de nada, muito menos das coisas que simplesmente adoramos. E, como em quase tudo, há sempre alternativas mais saudáveis. Esta é uma daquelas alternativas que me sacia os desejos mais sombrios. 
Para esta receita vão precisar:
  • 200 gr avelãs
  • 3 CS xarope agave
  • 1 CS cacau cru
  • 1 pitada sal fino (muito pouco)

Levar as avelãs ao forno para que torrem ligeiramente. Caso prefira, pode torrá-las na frigideira. 
A casca sairá com mais facilidade e a manteiga em si ficará bem mais saborosa. Atenção para não deixarem queimar as avelãs.
Retire-lhes a casca e leve-as a um processador de alimentos (1, 2, 3) e picar durante 1 minuto. Colocar o sal. Eu usei mesmo muito pouca quantidade.
Continuar a picar durante uns minutinhos.
Inicialmente as avelãs transformam-se numa farinha, depois numa pasta e, por ultimo, a pasta transforma-se numa manteiga.
Se quiserem, podem parar neste ponto e guardarem. Podem utilizar a manteiga de avelãs para fazer umas bolachas ou misturar no iogurte, etc..
Eu quis fazer uma espécie de "nutella". Simples: ao preparado anterior, juntar o cacau e o xarope (geleia) de agave e misturar mais um pouco.
Guarde num recipiente próprio, de preferência no frigorífico. Aguenta cerca de um mês (se não forem muito gulosos).
Podem utilizar esta receita como base para muitas outras: cookies, panquecas, crepes, bolos ou, como eu fiz, simplesmente barrar numa fatia maravilhosa de pão de centeio.

Fica um produto muitíssimo bom, se forem "nuts for nuts" (doidos por nozes) e por chocolate, mas contenham-se e comam com bastante moderação. Uma dose a mais pode significar 1h extra de exercício :)

Espero que gostem.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Barrinhas de Cereais


Estava com uma vontade tão grande de comer uma coisinha doce e a despensa não tinha nada para me oferecer. Fui ao frigorífico... Nada! Naturalmente... As dietas são assim...
Podia ir, sorrateiramente, às bolachas do marido, mas só me ia enganar a mim mesma. Por isso, não era uma opção.
Então, pus mãos à obra e, no intervalo de um filme, fui para a cozinha! Cerca de 15 min, era tudo o que eu tinha! E foi mais que suficiente.


Vamos à receita...
Para esta vão precisar:
  • 1 chávena de flocos de aveia
  • 1 chávena de coco ralado
  • 1 CS farinha de arroz (ou outra farinha do vosso interesse)
  • 1 CS cacau em pó
  • 1 Cc de fermento químico
  • 1/2 chávena de açúcar (eu utilizei de coco, mas podem alterar. No caso de quererem mais doce podem alongar-se até 1 chávena)
  • 2 CS óleo de coco derretido
  • 3 ovos médios
  • Cranberry q.b
  • Amêndoas q.b
  • 1 pitada de sal fino


Ligar o forno a 200º e forrar o tabuleiro com papel vegetal.
Num recipiente colocar os ovos e bater até que a gema e a clara se liguem. Acrescentar o óleo de coco e bater mais um pouco.
De seguida, juntar todos os outros ingredientes, excepto os cranberries e as amêndoas e envolver tudo muito bem. Reservar.
Partir as amêndoas em pedaços e, juntamente com os cranberries, misturar no preparado anterior.
Depois de bem incorporada, espalhar a mistura no tabuleiro forrado. Não deverá ultrapassar 1 cm de altura, nem deverá ficar com menos de 0,5 cm. Tentar formar um rectângulo/quadrado grande.
Levar ao forno e está pronto entre 7 a 10 min.
Quanto mais alto deixarem, mais tempo precisa, sendo que não deverá haver necessidade de ultrapassar os 15min.
Tirar do forno e, ainda quente, cortar em rectângulos. Para que arrefeçam de maneira uniforme, coloque-as numa grelha metálica.
Depois de arrefecidas, é só guardar num potinho e tentar não devorá-las todas em 5 min.
Et voilá... barrinhas de cereais para matar os desejos malucos... 


É uma receita super rápida e fácil. É só misturar, espalhar e cozer. E esta ultima nem é tarefa vossa!
Ainda fui bem a tempo de ver a 2ª parte do filme e, enquanto as outras barrinhas arrefeciam, uma veio comigo!

Notas:
Para que estas barrinhas fiquem mais rijas, têm que adicionar à mistura 1 Cc de bicarbonato de sódio. Eu preferi não adicionar, para tornar a receita o menos química possível.
Por terem ovos e não terem o bicarbonato de sódio, convém guardar num frasco hermético. Se durarem mais de 2 dias, colocar no frigorífico.

Substituições:
Para tornar a receita vegan, pode substituir os ovos por mistura de linhaça. Para fazer a mistura de linhaça: 1 ovo = 1 CS linhaça moida + 3 CS água. Misturar a linhaça na água e levar ao frigorífico durante 10 a 15min até que seja formada uma pasta.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Arroz de Couve Flor

Arroz... Sou completamente ma-lu-ca!!! ADORO! Por mim comia sempre arroz! Mas não posso, claro... Aliás, ninguém pode/deve. O grande problema é que quando posso comê-lo, não vão ser duas colherzitas que me vão saciar!
Então, foi com muita alegria que descobri esta receita que vos quero partilhar. É mais uma das que é SUPER fácil e saudável, como não podia deixar de ser!
Vejam a receita original no blogue Nem acredito que é saudável e, já que entraram, vejam-no de uma ponta a outra que vale bem a pena!!

Para esta receita vão precisar:
  • Meia couve-flor (média)
  • Cebola e alho picados
  • Louro
  • Azeite
  • Especiarias a gosto
  • Sal e pimenta q.b.

A primeira coisa a fazer é preparar os legumes. Comecem por picar uma cebola e dois dentes de alho (caso prefiram, piquem mais quantidade) e depois vamos tratar da couve-flor! Cortem-na em ramos pequenos, para facilitar;  lavem e sequem-na muito bem (com auxílio de um pano ou de papel absorvente de cozinha).
Depois de tudo preparado, coloquem-na numa 1,2,3/picadora durante uns segundos até que esteja em ponto de "arroz". Fácil!
Agora é só cozinhar!
Refogar a cebola, o alho e o louro em azeite. Depois juntar a couve-flor e temperar com o sal, a pimenta e especiarias a gosto e deixar cozinhar (mexendo sempre) durante cerca de 3 a 4 min. 
Pessoalmente gosto que fique mais "al dente" que cozido, até porque fica mais com a textura do próprio arroz mas, caso prefiram, deixem cozinhar mais 1 minutinho ou 2... Basta ir provando para saberem o ponto certo do vosso gosto.

Esta receita serviu para fazer uma marmita para o trabalho, onde devorei tudo com grande apetite!
Da próxima vez acrescento ervilhas :p
Experimentem!

De marmita aviada para o trabalho!
"Arroz" de Couve-flor com xixa picada!

terça-feira, 3 de junho de 2014

Leite de Coco - Caseiro

Uma vez feito o leite de aveia, parti para outro leite. Desta vez o de coco!
E podem crer que é tão fácil como o primeiro!
Vamos à receita.
Para esta vão precisar:
  • 1 chávena de coco ralado (vejam o que não tem açúcar, de preferência)
  • 2 chávenas de água
Preparar o processador de alimentos, para que fique a jeito!
Numa panela, adicionar a água e deixar ferver.
Colocar o coco ralado no processador de alimentos e, uma vez a água fervida, juntá-la ao coco.
Ligar (e ter atenção à tampa que pode voar devido ao calor) e deixar processar durante cerca de 5 min.
No fim, basta coar o leite com a ajuda de um passador ou de um pano e armazená-lo num recipiente próprio.
Simples, não é?

Notas importantes:
Este leite nunca ficará tão consistente como o de compra, mas não fiquem tristes. A razão pela qual não fica tão consistente é porque, simplesmente, não iremos usar espessantes. Como não vamos recorrer aos espessantes, vamos recorrer ao nosso processador. Daí ser tão importante a mistura bater durante os cerca de 5min. Se deixassem misturar apenas durante 2 ou 3 min, o resultado final ficaria ainda mais liquido. 
Façam a experiência.
Como é um leite caseiro e não tem qualquer aditivo adicionado, deverá ser utilizado no dia em que é feito ou logo no dia seguinte. Eu costumo fazer doses superiores e congelo :) Assim dura bastante mais tempo e não preciso de estar sempre a fazê-lo. Há que sermos práticos ;)
O coco que sobra, depois de bem coado, vai ao forno para secar e ser guardado para outra receita :)

Substituições:
O coco ralado pode ser substituído pelo fresco, mas a receita sofre 100% de alterações. É igualmente fácil, porém o trabalho que terão a abrir o coco e a ralá-lo manualmente sem qualquer utensílio que ajude é bastante. Caso prefiram (gabo-vos o esforço), basta colocarem a água do coco e o seu miolo e no processador e misturar durante uns minutos. No fim também coam ou, caso prefiram, mantêm os pedacitos para ter alguma textura.
Caso queiram manter a minha receita e torná-la ainda mais intensa (e um pouco mais dispendiosa), basta substituírem a água por água de coco, à venda em qualquer supermercado.

Espero que tenham gostado desta receita que além de mais saudável é mais económica.
Este que fiz já teve o seu destino: caril de peru.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Açúcares

Embora existam vários tipos de açúcares, o mais comum utilizado é o açúcar refinado (vulgo açúcar branco). Já todos sabemos que não só é bastante calórico e vazio de nutrientes, como está associado a várias doenças: cardiovasculares, obesidade, diabetes...
Assim, apresento-vos algumas das alternativas, muitas das quais eu desconhecia por completo.
São adoçantes naturais com diferentes características.. 

Uma coisa que eu aprendi é que não podemos olhar só para as calorias de cada alimento. Os nutrientes são, isso sim, o mais importante. Nós não precisamos de calorias vazias, mas de nutrientes sim. Ou seja, na hora de comparar dois produtos, vamos olhar para toda a informação nutricional. 


AGAVE
Agave Palmeri - uma das espécies de Agave

O que é?

O agave é uma planta que é cultivada, maioritariamente, no centro e sul americanos, de onde se extrai um xarope de cor âmbar.
Esse xarope é composto por cerca de 70 a 90% de frutose, o que o torna praticamente tão calórico como o açúcar refinado. A diferença, essa, está no facto do xarope de agave ter um poder adoçante 2 ou 3 vezes superior ao do açúcar, o que faz com que a quantidade a utilizar seja mais reduzida. Por exemplo, 100g de açúcar equivalem entre 35 a 50g de agave.
Outra das diferenças é que possui alguns minerais que o açúcar refinado não possui (ferro, cálcio, magnésio e potássio), tornando-o assim mais nutritivo.
O seu consumo deve ser bastante moderado.
Quantidades e temperaturas:
100g de açúcar equivalem entre 35 a 50g de agave.Ou seja, uma chávena cheia de açúcar equivale a 1/3 ou metade de uma chávena de xarope de agave.
Deverá ter-se alguma atenção com altas temperaturas, uma vez que o agave é equivalente ao mel nas confecções: mais de 180º graus e corre-se o risco de queimar.

Fonte:
Cura e Ascensão


STEVIA
Stevia - Em planta

O que é?
A stevia é um adoçante substituto do açúcar extraído das folhas da planta Stevia Rebaudiana, proveniente da América do Sul.
O poder adoçante da stevia pode ir até 300 vezes o do açúcar e não possui calorias. Devido à escassez de hidratos de carbono, é bastante utilizada em dietas de emagrecimento.
A planta em si é bastante nutritiva e, segundo consta, além de não ter calorias, não causa diabetes,  não altera o nível de açúcar no sangue, não é tóxica e inibe a formação da placa bacteriana e de cáries dentárias.
Além do mais, a stevia é um diurético natural. Enquanto nos adoça, elimina-nos o excesso de água do corpo. 
O seu consumo é bastante recomendado mas, como em tudo, deverá ser moderado.
Quantidades e temperaturas:
A stevia pode ser cozinhada em temperaturas até 200º.
Em termos de dosagem 1g de stevia equivale a 300g de açúcar. Naturalmente, este ultimo ponto, depende da força da stevia. Como referi acima, o poder adoçante da stevia pode ir ate 300 vezes o do açúcar, o que não significa que vá sempre. Nada como provar e rectificar :)

Fontes:
Stevita
Stévia Lusa


XILITOL

O que é?
O xilitol é um adoçante natural, com cerca de menos 40% de calorias que o açúcar refinado, mas com poderes adoçantes idênticos. Encontra-se nas fibras de plantas (casca de bétula), nas frutas (ameixas e framboesas) e nos vegetais (milho), de onde é extraído.
Como a stevia, o xilitol previne as cáries dentárias e a diabetes.
Devido ao elevado custo no processo de obtenção de xilitol, o seu preço de mercado é bastante elevado, tornando este o principal problema.
Quantidades e temperaturas:
A proporção é a mesma que no açúcar: 100g de açúcar equivalem a 100g de xilitol.
Pode ser confeccionado em qualquer temperatura, uma vez que não quebra com o calor.

Fonte:
Iswari


AÇÚCAR DE COCO
O que é?
Com um sabor caramelizado, idêntico ao do açúcar mascavado, o açúcar de coco é extraído do liquido das flores do coqueiro.
Ao ser aquecido, esse liquido forma um caramelo espesso que, depois de arrefecido, é triturado.
Este açúcar tem um índice glicémico mais baixo que o açúcar refinado (e que o açúcar mascavado), tornando-o menos prejudicial para a saúde.
É, também, bastante mais nutritivo, devido à elevada  presença de ferro, cálcio, magnésio e potássio. 
Quantidades e temperaturas:
Aqui, a quantidade é a mesma que no xilitol: 100g de açúcar refinado equivale a 100g de açúcar de coco
Quanto à temperatura, não existem contra indicações.

Fonte:
Biosamara

domingo, 1 de junho de 2014

Bolo de côco sem glúten e sem lactose

Recentemente descobri uns ingredientes que estava louca por experimentar: stevia e geleia de agave. Como ambos são adoçantes, nada melhor que experimentá-los com um bolo.
Este foi feito sem glúten e sem lactose.


Para esta receita vão precisar:
      
       Massa

  • 1 chávena de farinha de arroz
  • 1 chávena de coco ralado
  • 1 colher de sopa de fermento
  • 1 chávena de leite de aveia
  • 6 pacotes de stevia
  • 10 colheres sopa geleia de agave
  • 4 ovos
  • 1 colher de sobremesa de óleo de linhaça (ou azeite)
  • 1 pitada de sal
  • 2 quadrados de chocolate negro ralado.
      
       Cobertura

  • O que sobrou na tablete de chocolate negro
  • 5 colheres de sopa leite de aveia
  • 5 colheres de sopa geleia de agave
  • Coco ralado para polvilhar

Ligar o forno nos 180º para que possa ir aquecendo.
Untar a forma com azeite (ou margarina vegetal) e polvilhar com farinha de arroz. Caso polvilhem com uma farinha de trigo vão logo contaminar a receita.
Pegar em dois recipientes: um para todos os ingredientes secos, excepto o fermento e o chocolate ralado; outro para os ingredientes líquidos e colocar os respectivos lá dentro.
Mexer bem cada um deles. 
Assim que a mistura dos líquidos estiver concluída, junte os secos e volte a mexer. 
Depois de bem incorporados, acrescente ao preparado o fermento e o chocolate ralado e envolva-os na mistura.
Feito isto é só colocar na forma e levar ao forno durante 40/45min ou até estar cozido, sem mexer na temperatura.

Depois de cozido e enquanto arrefece um pouco tratamos da cobertura que é o mais simples que existe:
Derretemos o chocolate com o leite de aveia e misturamos. Depois de formar a calda de chocolate temperamos com a geleia de agave e voltamos a mexer.
De seguida só temos mesmo que deitar este molho sobre o bolo e polvilhá-lo com coco ralado.


 Além do bolo crescer bem, no forno, também fica super fofinho.

Notas importantes:
Este bolo não fica muito doce com a quantidade de adoçantes que eu coloquei. Convém, depois da massa pronta, provarem um pouco para decidirem se precisam ou não de acrescentar mais doce. 
Esta é uma receita mais saudável e nutritiva que as típicas receitas de bolos, mas, como em tudo, podem ser feitas substituições. A única preocupação que devemos ter é se as alterações que fizermos serão realmente melhores para nós.
Nunca nos podemos esquecer que, embora mais saudável, se deve comer com moderação.
Uma alimentação sem glúten e sem lactose também engorda, se não forem tidos quaisquer tipos de controlo de porções :p

Substituição de ingredientes:
A farinha de arroz pode ser trocada por uma farinha de trigo normal, mas esta receita deixa logo de ser sem glúten. As quantidades a utilizar são as mesmas.
Caso queiram manter uma receita sem glúten, existe à venda uma mistura de farinhas já preparada. 
A geleia de agave pode ser substituída por mel e, juntamente com a stevia, podem ser trocadas por açúcar refinado ou mascavado... Naturalmente deixa de ser tão saudável. Neste caso colocam 1 ou 1 1/2 chávena de açúcar.
O óleo de linhaça pode ser substituído por óleo de coco ou azeite.

Agora é só experimentarem para poderem provar como ficou maravilhoso!

sábado, 31 de maio de 2014

Leite de Aveia - Caseiro

Eis um óptimo substituto ao leite de origem animal, o leite de aveia.
Além de ser bebido simples, também ajuda nos cozinhados.
Não imaginam como é fácil de fazer e, sobretudo, barato! Além de que é muito mais saudável que o leite de vaca.


Para esta receita precisam:
  • Flocos de aveia
  • Água
  • Canela, baunilha ou outras especiarias (opcional)
A receita começa no dia anterior.
Dentro de um recipiente colocamos 1 caneca de flocos de aveia e enchemos com água até estarem submersos. Tapamos o recipiente e aguardamos por 8h, deixando os flocos bem demolhados.
No dia seguinte, escorremos a água dos flocos e colocamo-los dentro de um processador de alimentos (ou podem mesmo utilizar a varinha mágica). Nele juntamos 4 canecas de água e trituramos tudo, muito bem.
Como ultimo passo basta coar o leite por 2 ou 3 vezes, com a ajuda de um passador, para que o excesso de farinhas não fique presente e só temos que guardá-lo numa garrafa.
A pasta de aveia que foi coada também é aproveitada para outras receitas.

Eu costumo fazer o meu leite simples e sem qualquer especiaria, porque mediante o destino que o leite vai ter coloco a que me for mais conveniente. Canela, baunilha, noz moscada...
Nada melhor que fazerem as vossas próprias versões. No caso de quererem usar especiarias, tenham só a atenção de colocá-las na altura em que os flocos de aveia entram no processador, triturando tudo ao mesmo tempo para que fique mais homogéneo.


Fácil, não é?
Experimentem :)